Depressão pós perda


reputation.tooltip.user_level
Selo +3
  • Mamãe de primeira viagem
  • 5 Respostas
Não é fácil ver um filho num caixão. Por mais que o Arthur tenha partido com apenas 5 dias de vida, o buraco que ele deixou nada no mundo é capaz de preencher, o vazio toma conta, um buraco se abre um baixo dos pés e tem horas que não via saída dali. As pessoas sempre chegavam com os conselhos delas (que, honestamente, só serviam pra piorar tudo). Dizer que ele não era pra ser meu, que não era hora de ser mãe de dois, que eu ainda poderia ter outros filhos, que ele viveu pouco tempo e não deu tempo de eu me apegar... E quando um filho substitui o outro? E quando amor diz respeito a tempo? Isso só fazia doer mais e mais, parecia abrir mais ainda a ferida, foi onde me vi em depressão.
Cheguei a ponto de tentar suicídio, era duro demais ver bebês da idade do meu menino crescendo e eu não poder viver o mesmo. Inveja? Não, creio q não, mas doía muito. Não podiam me deixar sozinha por um momento sequer. “Annelise, pensa no teu filho que tá aqui, ele precisa de você!” É verdade, mas a alma dói tanto, tanto que você só quer acabar logo com tanta dor, não da pra ninguém ver o quanto dói, onde dói, então como tratar algo invisível? Foi onde aceitei que eu precisava de ajuda.
Aprendi que psicólogo não impõe nada, que psiquiatras não são médicos de loucos, entrei de cabeça no tratamento e me permiti viver meu luto. O mais difícil pra mim foi aceitar e entender que eu realmente precisava de um apoio, como tive pessoas ao meu lado abrindo meus olhos eu consegui ver. Depressão não é frescura. Tentativa de suicídio não é fraqueza. Choros, gritos, isolamento, tristezas são pedidos de ajuda, eu tive quem entendeu meu pedido e hoje estou bem melhor, o pior não aconteceu e estou viva, curtindo meu mais velho e minha bebê arco-íris, aprendi a viver feliz faltando um pedaço de mim.

1 Resposta

reputation.tooltip.user_level
Selo +4
Anne,

Sinta-se abraçada por mim, não deve ter sido nada fácil o que você passou. E que bom que encontrou ajuda nos especialistas. E esperança através dos seus filhos.

Beijos e obrigada por compartilhar sua história :)

Comentar

    • :D
    • :?
    • :cool:
    • :S
    • :(
    • :@
    • :$
    • :8
    • :)
    • :P
    • ;)