Amamentação Gemelar


Desde o primeiro momento que descobri que a minha gestação era gemelar comecei a buscar informações sobre a amamentação, sempre sonhei que fosse AME (amamentação materna exclusiva) e tinha dúvidas se era possível. Encontrei então um grupo em uma rede social, recheado de profissionais e mães cheias de suas experiências, dicas e truques sobre esse mundo. Entrei no grupo, contei sobre a gestação e sobre as dúvidas e foi então que fui coberta de comentários ótimos e cheios de incentivo,todas me explicando e mostrando que seria capaz.

Tinha dúvidas porque hoje em dia vivemos em uma sociedade completamente do avesso onde amamentar em público é feio, uma sociedade que impõe à mãe que ela deve usar bicos artificiais e que é o melhor a se fazer pelos bebês, mas não é!

Quantas mulheres deixaram de amamentar seus filhos achando que seu leite não era o suficiente porque o bebê chorava à todo tempo, porque não ficava satisfeito a noite pra dormir seis horas diretas, ou até mesmo porque achavam que sei leite era fraco e que a fórmula fosse a melhor solução para o bebê ganhar peso e crescer mais forte.
Poucas sabem que o leite materno tem rápida digestão, que meia hora já é o suficiente. Não sabem da importância da livre demanda e dá exclusividade do leite e materno nos seis primeiros meses,das indicações que a OMS (Organização Mundial de Saúde) faz.

Quantas dessas mulheres seguem as histórias antigas que o bebê precisa de chá, precisa de água e até mesmo de um "engrossante" na mamadeira. E ainda assim pensam estar fazendo o melhor para seus filhos porque a tia da vizinha da minha avó, ou a irmã da cunhada da minha prima disse que isso é o melhor a fazer... Enganam-se! Toda mulher produz o leite suficiente pro seu bebê, seja ele um, dois ou mais. Seus seios funcionam como fábrica e os bebês como operários, quanto maior a sucção, quanto mais sugam, mais mamam, mais produz!

Tanto me informei e me preparei pra que conseguisse que o fiz ser real o sonho da amamentação. Na maternidade mesmo ao dar a luz, assim que os bebês chegaram no quarto uma enfermeira me perguntou: - Tem leite aí mãezinha? Então ela apertou os meus seios e lindo jato de leite desceu sobre as suas mãos, fiquei emocionada. Em seguida coloquei minha menina que mais parecia ter meses de nascida, já que pegou com tanta facilidade e mamou como se não houvesse amanhã. Pedi então que me desse o menino e a enfermeira disse: - Não tem como você amamentar os dois, termine primeiro a menina. Confesso que sou um pouco grossa e disse: Os filhos são meus, quero amamentá-los juntos!

Coloquei então um em cada seio é pronto, chorei! Chorei mesmo porque passei nove meses sonhando com esse momento. Pela manhã um médico veio me visitar, disse que iria prescrever fórmula pra que eu intercalasse com o as mamadas. Eu disse que não seria necessário, que eu tinha bastante leite e que seria o suficiente, ele disse então: - Claro que é,eu apenas fico com dó porque você vai passar o dia amamentando? Eu disse que sem problemas, ele insistiu dizendo que deixaria por precaução e eu disse bem grossa: - Não deixa que eu não vou dar!

Recebi alta quatro dias depois que tive meus bebês, eles ficaram internados por conta da icterícia. Foi então que meu sacrifício começou. Eu ia todos os dias ao hospital para amamentá-los. Cinco dias depois de uma cesária eu estava ali, andando de ônibus e metrô, tudo pela AME! Infelizmente o hospital não tinha banco de leite e as mamadas da madrugada eram feitas com LA, mas durante o dia, das 08 as 20hrs eu estava ali, cheia de vontade e disposição, amamentando e contando os minutos de levar meus pequenos pra casa.

E foi em casa que eu vi o verdadeiro desafio, tive ajuda de uma cunhada apenas nos cinco primeiros dias, depois foi só eles e eu, e Deus me dando força é claro. Meu marido trabalha e eu passo o dia com eles sozinha, a minha sorte é que eu tinha uma almofada de amamentação (tenham uma, ela ajuda muiiiiiiiiiito​!!!!).
Sobre a minha sala? Passava o dia nela, meu sofá afundou de tanto que eu ficava na mesma posição rsrs. Passava horas com eles pendurados, mamando a todo tempo, e quando não mamavam ficavam no peito só pra garantir kkkk. Foram dois meses sem conseguir fazer xixi direito, comer, tomar banho mas não me arrependo, eles começaram a mamar menos e em maiores intervalos, então tudo entrou nos eixos.

Fui contra tudo e contra todos, contra o:
  • Eles precisam de mingau de fubá.
  • Dá um cházinho pra eles.
  • Seu leite é fraco, eles vão passar fome.
E por aí vai...

Estamos há quatro meses nessa luta, quatro meses de leite materno em livre demanda e muito amor envolvido. E assim vamos seguindo até os dois anos exclusivos ou até quando eles quiserem!!!

3 Respostas

Sou mãe de um casal de gemeos. Filipo e Donatela. Estao com 51
estou amamentando eles só com leite materno também e estão crescendo muito!
Graças a Deus estou conseguindo dar conta. os primeiros dias são dificeis e cheios de dúvidas mas os grupos de maes de gemelares estão me ajudando muito. Me encorajam a continuar com o leite materno exclusivo dividem informações que tiram a pulga atrás da orelha.
As mamadas da noite são mais difíceis. Não tem como dizer que não dá sono acordar para amamentar.. se é que se pode dizer que mães de gêmeos dormem.
Mas seguimos felizes. É uma atitude de muita doação e amor que a natureza providenciou para as mulheres.
O Filipo e a Donatela agradecem.

Parabéns Philips pela iniciativa do escolha de mãe. Faço parte do time Philips e vou ajudar a divulgar esse projeto.:D
reputation.tooltip.user_level
TwinsMon escreveu:

Desde o primeiro momento que descobri que a minha gestação era gemelar comecei a buscar informações sobre a amamentação, sempre sonhei que fosse AME (amamentação materna exclusiva) e tinha dúvidas se era possível. Encontrei então um grupo em uma rede social, recheado de profissionais e mães cheias de suas experiências, dicas e truques sobre esse mundo. Entrei no grupo, contei sobre a gestação e sobre as dúvidas e foi então que fui coberta de comentários ótimos e cheios de incentivo,todas me explicando e mostrando que seria capaz.

Tinha dúvidas porque hoje em dia vivemos em uma sociedade completamente do avesso onde amamentar em público é feio, uma sociedade que impõe à mãe que ela deve usar bicos artificiais e que é o melhor a se fazer pelos bebês, mas não é!

Quantas mulheres deixaram de amamentar seus filhos achando que seu leite não era o suficiente porque o bebê chorava à todo tempo, porque não ficava satisfeito a noite pra dormir seis horas diretas, ou até mesmo porque achavam que sei leite era fraco e que a fórmula fosse a melhor solução para o bebê ganhar peso e crescer mais forte.
Poucas sabem que o leite materno tem rápida digestão, que meia hora já é o suficiente. Não sabem da importância da livre demanda e dá exclusividade do leite e materno nos seis primeiros meses,das indicações que a OMS (Organização Mundial de Saúde) faz.

Quantas dessas mulheres seguem as histórias antigas que o bebê precisa de chá, precisa de água e até mesmo de um "engrossante" na mamadeira. E ainda assim pensam estar fazendo o melhor para seus filhos porque a tia da vizinha da minha avó, ou a irmã da cunhada da minha prima disse que isso é o melhor a fazer... Enganam-se! Toda mulher produz o leite suficiente pro seu bebê, seja ele um, dois ou mais. Seus seios funcionam como fábrica e os bebês como operários, quanto maior a sucção, quanto mais sugam, mais mamam, mais produz!

Tanto me informei e me preparei pra que conseguisse que o fiz ser real o sonho da amamentação. Na maternidade mesmo ao dar a luz, assim que os bebês chegaram no quarto uma enfermeira me perguntou: - Tem leite aí mãezinha? Então ela apertou os meus seios e lindo jato de leite desceu sobre as suas mãos, fiquei emocionada. Em seguida coloquei minha menina que mais parecia ter meses de nascida, já que pegou com tanta facilidade e mamou como se não houvesse amanhã. Pedi então que me desse o menino e a enfermeira disse: - Não tem como você amamentar os dois, termine primeiro a menina. Confesso que sou um pouco grossa e disse: Os filhos são meus, quero amamentá-los juntos!

Coloquei então um em cada seio é pronto, chorei! Chorei mesmo porque passei nove meses sonhando com esse momento. Pela manhã um médico veio me visitar, disse que iria prescrever fórmula pra que eu intercalasse com o as mamadas. Eu disse que não seria necessário, que eu tinha bastante leite e que seria o suficiente, ele disse então: - Claro que é,eu apenas fico com dó porque você vai passar o dia amamentando? Eu disse que sem problemas, ele insistiu dizendo que deixaria por precaução e eu disse bem grossa: - Não deixa que eu não vou dar!

Recebi alta quatro dias depois que tive meus bebês, eles ficaram internados por conta da icterícia. Foi então que meu sacrifício começou. Eu ia todos os dias ao hospital para amamentá-los. Cinco dias depois de uma cesária eu estava ali, andando de ônibus e metrô, tudo pela AME! Infelizmente o hospital não tinha banco de leite e as mamadas da madrugada eram feitas com LA, mas durante o dia, das 08 as 20hrs eu estava ali, cheia de vontade e disposição, amamentando e contando os minutos de levar meus pequenos pra casa.

E foi em casa que eu vi o verdadeiro desafio, tive ajuda de uma cunhada apenas nos cinco primeiros dias, depois foi só eles e eu, e Deus me dando força é claro. Meu marido trabalha e eu passo o dia com eles sozinha, a minha sorte é que eu tinha uma almofada de amamentação (tenham uma, ela ajuda muiiiiiiiiiito​!!!!).
Sobre a minha sala? Passava o dia nela, meu sofá afundou de tanto que eu ficava na mesma posição rsrs. Passava horas com eles pendurados, mamando a todo tempo, e quando não mamavam ficavam no peito só pra garantir kkkk. Foram dois meses sem conseguir fazer xixi direito, comer, tomar banho mas não me arrependo, eles começaram a mamar menos e em maiores intervalos, então tudo entrou nos eixos.

Fui contra tudo e contra todos, contra o:
  • Eles precisam de mingau de fubá
  • Dá um cházinho pra eles
  • Seu leite é fraco, eles vão passar fome
E por aí vai...

Estamos há quatro meses nessa luta, quatro meses de leite materno em livre demanda e muito amor envolvido. E assim vamos seguindo até os dois anos exclusivos ou até quando eles quiserem!!!



Raquel! Que história maravilhosa. Seus filhos agradecerão pelo seu empenho e dedicação em manter a amamentação exclusiva em livre demanda.

Beijinhos e até logo :)
reputation.tooltip.user_level
Mavi escreveu:

Sou mãe de um casal de gemeos. Filipo e Donatela. Estao com 51
estou amamentando eles só com leite materno também e estão crescendo muito!
Graças a Deus estou conseguindo dar conta. os primeiros dias são dificeis e cheios de dúvidas mas os grupos de maes de gemelares estão me ajudando muito. Me encorajam a continuar com o leite materno exclusivo dividem informações que tiram a pulga atrás da orelha.
As mamadas da noite são mais difíceis. Não tem como dizer que não dá sono acordar para amamentar.. se é que se pode dizer que mães de gêmeos dormem.
Mas seguimos felizes. É uma atitude de muita doação e amor que a natureza providenciou para as mulheres.
O Filipo e a Donatela agradecem.

Parabéns Philips pela iniciativa do escolha de mãe. Faço parte do time Philips e vou ajudar a divulgar esse projeto.:D



Olá Mavi,

Histórias como a sua e a da Raquel me encantam. Afinal, nós que não somos mães de gêmeos temos muita curiosidade sobre a rotina de vocês. Essas redes de apoio que encontramos aqui na internet são maravilhosas, né? Além de nos ajudarmos, aprendemos com cada uma. Volte aqui para contar mais sobre seu dia a dia, me interessei! rsrs

Abraços e até logo :)

Comentar

    • :D
    • :?
    • :cool:
    • :S
    • :(
    • :@
    • :$
    • :8
    • :)
    • :P
    • ;)